O funcionamento do autoconsumo 

Saiba como produzir e consumir a sua própria Energia Solar com uma Instalação de Autoconsumo 

 

Com a entrada em vigor da nova lei do autoconsumo, Decreto-Lei nº 162/2019, em 2020 particulares e empresas podem produzir e consumir a sua própria energia eléctrica através de painéis fotovoltaicos. Com base na informação actualmente disponível, a Donauer responde aqui a algumas perguntas que podem ajudar a esclarecer como funciona o autoconsumo.

 

1. Como funciona o autoconsumo?

Um sistema de autoconsumo permite produzir localmente a sua própria energia e contribuir diretamente para a redução dos custos energéticos da habitação / empresa.

Modelo de funcionamento:

1. Como funciona o autoconsumo?

Um sistema de autoconsumo permite produzir localmente a sua própria energia e contribuir diretamente para a redução dos custos energéticos da habitação / empresa.

Modelo de funcionamento:

Download Brochura Autoconsumo

Fale com um dos nossos peritos se precisar de suporte.

 

      >> Contacte-nos

1 – Exemplo ilustrativo, não é obrigatória a existência de contador bidirecional. Fonte: www.portugal.gov.pt
 

 

  • A unidade de produção (UPAC) produz preferencialmente para satisfazer necessidades de consumo

  • A energia elétrica produzida é instantaneamente injetada na instalação de consumo

  • O excedente produzido é injetado na RESP, evitando o desperdício

  • A UPAC é instalada no local de consumo

  • A Potência de ligação da UPAC tem de ser inferior à potência contratada na instalação de consumo

  • A Potência da UPAC não pode ser superior a duas vezes a potência de ligação


2. Quem pode gerar energia eléctrica para autoconsumo?

 

Particulares ou empresas consumidores de energia elétrica

 

3. Qual é a potência máxima ou área de painéis posso instalar? 

 

A potência máxima que se pode instalar é igual à potência que tem contratada com o seu comercializador de energia elétrica. No entanto, temos a limitação do espaço disponível (100W/m2 a 200W/m2) e o consumo de energia. Para dimensionar o seu sistema deverá consultar um instalador profissional para medir os seus dados de consumo, dimensionar o sistema adequado ao seu perfil de consumo e verificar a viabilidade técnica e económica. 

Esta modalidade de produção descentralizada de energia a partir de energia solar assenta no princípio de que a energia elétrica produzida deverá ser predominantemente consumida pelo produtor-consumidor. Com o autoconsumo consegue-se maior benefício quando a unidade de produção é dimensionada de acordo com as necessidades e padrões de consumo da instalação. O sobredimensionamento poderá colocar a viabilidade económica do seu sistema em causa. 

 

4. É preciso solicitar alguma autorização? 

 

Depende da dimensão de cada unidade de produção de autoconsumo (UPAC). A dimensão é avaliada consoante a potência instalada de cada UPAC. Assim:

 

— A UPAC com potência instalada igual ou inferior a 350 W não está sujeita a controlo prévio.

— A UPAC com potência instalada superior a 350 W e igual ou inferior a 30 kW está sujeita a mera comunicação prévia.

— A UPAC com potência instalada superior a 30 kW e igual ou inferior a 1 MW está sujeita a registo prévio para a instalação da UPAC e a certificado de exploração.

 

5. O registo das instalações tem custos?

 

Sim e dependem da potência de ligação de acordo com a tabela seguinte:

6. Como posso guardar a energia produzida?
 

O sistema de autoconsumo permite guardar a energia produzida e não consumida em baterias para ser utilizada durante a noite por exemplo. Existem ainda outras formas de guardar a energia em excesso e otimizar assim o autoconsumo, como termoacumuladores, bombas de calor ou outros equipamentos que possam ser acionados quando existe energia em excesso.  

 

7. É possível vender a energia “não autoconsumida”?
 

Sim, é possível vender a energia excedente. É necessário o registo e a obtenção de certificado de exploração. Adicionalmente terá de colocar um contador para medir a energia produzida e injectada na rede.

 

8. O autoconsumo tem impacto económico e ambiental positivo?
 

Sim, além de um impacto directo na redução da conta da electricidade, o autoconsumo como medida de eficiência energética irá ajudar a alterar padrões de consumo e escolha de equipamentos, dando maiores benefícios de poupança ao produtor-consumidor: pequenas alterações como por exemplo colocar em funcionamento as máquinas de lavar roupa durante o dia, transformar a produção de águas quentes através de meios eléctricos, entre outras medidas.

 

E por último, mas não menos importante é o facto de uma instalação de autoconsumo fotovoltaico apostar numa energia 100% limpa e renovável. Vai ajudar activamente na redução das emissões CO2 e contribuir diretamente para a redução da dependência fóssil e a independência energética nacional. Com uma instalação de energia solar reduz a sua pegada ecológica e deixa um mundo melhor para as futuras gerações.

 

9. Posso vender a totalidade da energia produzida
 

Sim, é possível vender a totalidade da energia. No entanto o valor base para a venda desta energia é de 45€/MWh que deverá ser inferior ao preço de compra.  

Informe-se junto de um especialista

Contacte-nos: